Ascendência Paterna

O ascendente mais antigo de sua família paterna no Brasil foi Thomas José de Aquino de Faria, vindo de Lisboa-Portugal para Salvador-Bahia em 1758. Filho de João Machado Ribeiro e Sebastiana Antônia Penalva, casou-se, por procuração, com Ana de Souza Conceição, fixando-se no município de Inhambupe-Bahia, onde constituiu uma grande família.

Oscar Fontes de Faria

Otílio Maciel de Faria

José Hilário Machado de Faria, filho de Thomas e Ana, nasceu em 21-01-1772, no engenho Torre da Lua, Inhambupé-Bahia. Casou-se em 08-01-1805 com Maria Rosa de Almeida. Foram os trisavós de Oscar Fontes de Faria.

Joaquim Elias Machado de Faria, filho de José Hilário e Maria Rosa, nasceu em 1809, no engenho Chapada, Itapecure-Bahia. Casou-se em 04-10-1833 com Maria Helena Simões de Almeida. Foram os bisavós de Oscar Fontes de Faria.

Francisco Dionísio Machado de Faria, o Barão de Abadia, filho de Joaquim Elias e Maria Rosa, nasceu em 09-10-1835, no engenho Boa Sorte em Jandaíra-Bahia. Casou-se com Antônia da Silva Maciel em 11-05-1838. Foram os avós de Oscar Fontes de Faria.

Otílio Maciel de Faria, filho de Francisco Dionísio e Antônia, nasceu em 11-02-1862 no engenho Santo Antônio da Tabatinga, Jandaíra-Bahia. Casou-se com Amélia Fonseca Fontes, nascida 12-04-1872, filha de Francisco Martins Fontes e Benvinda Fonseca. Foram os pais de Oscar Fontes de Faria.

Ascendência Materna

O Mais antigo ascendente materno é Antônio Martins Fontes, nascido em Portugal em 1752. Foi o pentavô de Oscar Fontes de Faria.

João Martins Fontes, filho de Antônio Martins Fontes, nasceu na cidade de Lagarto-Sergipe, em 10-11-1780. Foi o triavô de Oscar Fontes de Faria.

Oscar Fontes de Faria

Amélia Fontes de Faria

João Martins Fontes Júnior, nasceu em Lagarto-Sergipe, em 26-12-1801. Foi casado com Maria Rosa de Lima. Foram os bisavós de Oscar Fontes de Faria.

Francisco Martins Fontes nasceu na cidade de Estância, então província de Sergipe, em 06-06-1826. Faleceu em seu antigo solar, engenho Tabatinga, município de Abadia, província da Bahia, em 13-12-1878. Teve grande participação social e política nas duas províncias. Casou-se duas vezes: No primeiro consórcio, com Rosa de Lima das Virgens Fontes, teve sete filhos. Com o falecimento de Rosa, casou-se em 1846 com Benvinda da Fonseca Fontes, filha de Manoel da Cruz da Fonseca Doria, com quem teve cinco filhos.

Francisco Maciel de Faria e Benvinda da Fonseca Fontes, pais de Amélia, mãe de Oscar Fontes de Faria, foram os bisavós de Oscar Fontes de Faria.

Otílio Maciel de Faria e Amélia Fontes de Faria tiveram dezesseis filhos. Oscar Fontes de Faria foi o décimo quinto da prole. Nasceu no engenho Cruzeiro em Cristinápolis-Sergipe, em 03-06-1910. Teve uma infância feliz cercado de irmãs e irmãos.

Menino vivaz e inteligente cresceu ouvindo histórias nas noites estreladas, entre árvores, frutas e bichos. Montava cavalos e carros de bois, comendo melado do engenho e pescando no rio Real, que dividia a propriedade, de um lado o estado da Bahia e na outra margem, Sergipe, onde se situava a casa sede onde nasceu.

Saiu desse paraíso para se preparar intelectualmente para a vida.